sexta-feira, 15 de maio de 2009


Bocas

Bocas que se tocam
Numa noite de luar
Corpos que vão e que vêm
Num eterno bailar!

Bocas que se tocam
Num contínuo sussurrar
Palavras de amor e desejo
Para a volúpia despertar!

Bocas que se tocam
Sedentas para amar
Quantas coisas pra dizer
Mas o silêncio melhor dirá!

Bocas que se calam numa noite sem luar
Sem amantes, sem volúpias,
Sem corpos a bailar
Tingindo de negro, o agora triste luar!!


(Inezinha Resende)

Um comentário:

RITA disse...

PARABÉNS,SUAS POESIAS SÃO LINDAS!COM CERTEZA VOU COMPRAR SEU LIVRO.ADORO POESIAS,ELAS SÃO A EXPRESSÃO DE UMA ALMA SENCÍVEL...BJSSS RITA DE CASSIA.