quarta-feira, 10 de março de 2010



Há de chegar o dia...

... em que recusarei as sobras do teu afeto
E partirei sem chorar pela desventura
De ver um grande amor agonizar
Sem esperança de cura.

Há de chegar o dia em que não te lembrarei em minhas alvoradas
Para mim, serás apenas um estranho,
Pouco me importando se bem ou mal tem passado
E, se algum sentimento resistir , será o da indiferença, mais nada.

Há de chegar o dia em que não serás mais o motivo de minha alegria
Que não estarás em minhas noites insones
E não ilustrarás mais minhas fantasias.


Há de chegar o dia em que verás a falta que te faço
Que sem mim os teus dias serão mais tristes, uma tela borrada
Sem galhardia , sem vida , uma dança fora do compasso.

( Inezinha Resende)

5 comentários:

Fabí disse...

Linda a sua poesia...descreve exatamente o meu momento atual...vc conseguiu transpor em palavras com eximia precisão a dor da ausência e distanciamento do ser amado. também tenho um blog, se quiser vistiar, esta convidada www.lacontemplacion.blogspot.com

sorte disse...

Lindas são suas palavras, completam o sentido de consolo total!!
Admirada e agradecida por ter oportunidade de apreciar poesias que serverm para curar as dores de amor!! ou melhor,
Remédio PAra não amar tanto!! rsrs
beijos e Sorte!

Emy disse...

sofra seu infeliz kkkk , tipo..essa "indiferença" é essencial a nós q somos criaturas mto sentimentais! Temos q nos nutrir de "melodias" essencialmente.., como vc fez nessa poesia.

Barbara Salmerom disse...

linda a poesia meu parabéns!

Anônima disse...

Gostei muito das suas poesias...publiquei duas delas no meu blog mas coloquei a sua autoria é claro! è bom respeitar os direitos autorais...suas palavras me comoveram, estou passando por esse momento mas não conseguir escrever nada...por isso postei as suas poesias... reflete o q eu sinto!!! Se quiser ver ta aq o endereço:http://meudiarioemconstrucao.blogspot.com/

obrigada